Filmes para assistir em homenagem ao dia dos pais

Em 14.08.2017   Arquivado em Cinema, Dicas, Listas

Em homenagem ao dia dos pais fiz uma listinha de filmes que falam ou mostram sobre a relação da paternidade. Que tal fazer uma maratona com o seu pai? Não precisa ser só no domingo. Faça durante a semana. Afinal todo dia é dia dos pais. Vamos ver a lista?

1. O pai da noiva

Sinopse: George Banks (Steve Martin) é um pai de família casado com Nina (Diane Keaton). Ele sofre uma crise de ciúmes quando descobre que sua filha Annie (Kimberly Williams) e o namorado vão se casar. Durante a festa de noivado e os preparativos para o grande dia, o homem vai criar mil e uma confusões para não perder de uma única vez a sua filha.

 

2.Pai por acaso

Sinopse: Devido a um erro de uma clínica de fertilidade, David descobre que é o pai biológico de 533 seres humanos. Muito jovem na altura em que fez a doação, ele nunca poderia imaginar que tal pudesse vir a acontecer. Para piorar a situação, as crianças cresceram e estão determinadas a conhecê-lo. Aterrorizado com esta estranha notícia, David tem agora de decidir se aceita ou não revelar a sua identidade a 142 dos seus filhos, ansiosos por formar laços com o progenitor.

 

3. Procurando Nemo

Sinopse: Marlin, um Peixe-Palhaço, pai super protetor, depois de perder sua ninhada e sua esposa, decide criar seu único filho, Nemo, com todo o cuidado do mundo. No primeiro dia de aula do peixinho, no entanto, acaba exagerando um pouco na sua proteção, e faz seu filho passar vergonha.

4. Dois filhos de Francisco

Sinopse: Incentivados pelo pai Francisco, lavrador do interior de Goiás cujo sonho aparentemente impossível é transformar dois de seus nove filhos numa famosa dupla sertaneja, Mirosmar aprendeu acordeão e Emival, violão. Para ajudar nas despesas, os meninos tocam na rodoviária, onde conhecem um empresário que consegue fazer deles um sucesso no interior do Brasil até um acidente interromper a carreira da dupla.

5. À procura da felicidade

Sinopse: Um história inspirada em fatos reais sobre Chris Garner, um vendedor de São Francisco que vive no limite da linha da pobreza. Quando sua mulher Linda o abandona, Chris deve criar sozinho o filho deles de 5 anos, Christopher. A determinação de Chris finalmente surte efeito quando ele arruma um estágio sem remuneração em um programa ultra-competitivo de analista financeiro, onde somente um em cada vinte candidatos consegue ser efetivado. Mas sem salário, Chris e seu filho são despejados do apartamento em que vivem e são forçados a dormir nas ruas, em abrigos comunitários e até mesmo em banheiros das estações de metrô. Com determinação e o amor e confiança de seu filho, Chris Gardner dá a volta por cima para se tornar uma lenda em Wall Street.

Game of Thrones – Em defesa da mãe dos dragões: Por que a Daenerys não está virando psicopata como muitos dizem…

Em 10.08.2017   Arquivado em Uncategorized

Atenção. Contem Spoilers da 7ª temporada!

Já vi muita gente xingando e criticando a Daenerys na internet. E respeito. Porque todo mundo sempre critica os personagens. Eu também faço isso, inclusive com ela. Mas NÃO SÓ com ela, e sim com vários personagens. ESSA é a diferença.

Eu não discutia esse assunto da Daenerys com as pessoas, porque na verdade realmente não me incomodava. Mas depois do último episódio de Game of Thrones que foi lançado neste último domingo, dia 06/08/2017, eu me incomodei.

Muita gente falando mal da mãe dos dragões. MAS, POR QUE??????

Segue alguns estilos de comentários que li :

1.Quando ela usou os dragões na batalha: Nossa, ela está ficando igual ao pai, o rei louco. O poder tá subindo à cabeça dela.

2.Mas se ela não usa falam:  Por que diabos ela tem dragão se não os usa?

Relembrando:

Daenerys já perdeu duas batalhas desde que pisou em Westeros. Isso que em Casterly Rock também pode-se contar como uma batalha perdida, já que os Lannisters fizeram uma emboscada que deixou o exército da Daenerys sem comida. Ou seja. Na verdade ela perdeu 3 batalhas.

(Até agora não entendi como ninguém previu o ataque do tio Euron Greyjoy nos navios. Eles sabiam que estavam sendo perseguidos, pelo amor de Deus… Não acho que aí foi traição não, foi um pouco de burrice. Como o nosso querido Tyrion não percebeu isso?)

As pessoa, como conquistadora vai tentar fazer o que depois de 3 batalhas perdidas caso você ainda tenha exército? Continuar na guerra, porém de forma mais estratégica e inteligente. É o único jeito, certo? Mas após ter perdido 3 batalhas você precisa de algum truque, um ataque surpresa, e melhor ainda se tiver alguma vantagem, uma carta nas mangas… No caso da Daenerys ela tem 3 dragões. Então ela os usou.

No calor do momento ela queria sim atacar King’s Landing (eu queria que ela atacasse desde o início, logo que chegasse em Westeros hahaha). Mas quem nunca? Quando ficamos putos pensamos em tudo que é coisa. Duvido vocês dizerem que nunca tiveram um ataque de raiva.

Mas a Daenerys ouviu o conselho de todos. Ela não atacou King’s Landing. Ela atacou apenas o exército dos Lannister  lá em Casterly Rock. Não que o exército seja “SÓ o exército”. Mas é “só” no sentido de que todos estão em guerra. Então atacar o exército é algo que é “normal” numa guerra.

Pior hoje em dia que já atacam as cidades diretamentes… né? Mas enfim.

As desculpas que as pessoas estão usando para odiarem ela partem daí. O que elas dizem:

  1. Ela usou os dragões! NAS PESSOAS!!!

Como falei ali em cima. Ela usou no exército. Numa guerra vence quem tiver o melhor exército. No caso o exército eram os Dothraki + ela e o dragão.
Ela não os usou contra uma cidade. Usou contra o exército. OU SEJA>

EXÉRCITO CONTRA EXÉRCITO

2.Mas ela está louca!  o pai fazia isso também! queimava as pessoas!!!

O pai dela queimava as pessoas sem razão nenhuma! NÃO ERA NUMA GUERRA.

E eu pergunto. Por que dizem que ela está louca e não falam da Cersei?? Ou da Arya que matou a casa inteira dos Frey??

3. Ah, mas foi vingança da Arya. Eles mereciam.

Oi? Então. Se eu usar essa lógica. Foi vingança da Daenerys, porque os Lannister derrubaram o exército. E também extinguiram a família dela :O Eles mereciam. Certo?

Vi outro comentário que utilizam para criticar a Daenerys:

4.Game of Thrones é uma série onde qualquer um pode morrer de repente. Mas essa regra não parece válida para a Daenerys e o Jon Snow. 

Aí eu pergunto. E os outros “mil” personagens que ainda não morreram também? Como a Cersei, Jaime ( principalmente ele que passou por um monte de coisas e não morre de jeito nenhum – ps: não quero também que ele morra, mas já que é para analisar né…)

Quem mais… A Arya… quer mais previsível que ela? DESDE a primeira temporada a gente bem sabia que ela se tornaria uma guerreira fodona. A gente não sabia exatamente como .Mas sabia.

Enfim. Só alguns exemplos para falar de seguir regra ou não…

5. Mas estão fazendo o John e a Daenerys virarem protagonistas.

 

Só porque a série é conhecida por matar personagens importantes não significa que não possa ter protagonismo. Mas não que eu ache que tenha…

Até porque eu adoro a Daenerys, mas eu sei sim dos defeitos dela. Não acho que ela seja santa e tal. Também não acho legal ela ficar lá dizendo se ajoelhe se ajoelhe. Mas eu continuo gostando dela. E ao contrário do que falam, de que a série é marcada por não ter protagonismo e matar personagens importantes, eu vejo de forma diferente:

A série mostra TODOS os lados das pessoas. Não existe bom ou mal. Todo mundo tem ambas as coisas dentro de si. Não tem vilão e herói. Todos são vilões e heróis. Depende da perspectiva e do momento.

Eu não vejo a Daenerys como heroína. Nem o John. Até porque eles matam e mataram inocentes.

O John na muralha, pensava na morte dos selvagens como todos os homens da muralha, só depois que ele mudou de ideia. Então existem estas várias facetas. E é isso que é Game of Thrones. Não é sobre não ter protagonismo ou sobre matar personagens importantes. É você se interessar pelos personagens independente do que eles façam.

Um exemplo claro disso é o Joffrey. Ó, como nós odiamos o Joffrey. Mas quem não sentiu falta dele quando o Tommen tava no poder e o alto pardal fez o que fez? Todos pensamos: “ah se fosse  o Joffrey…”

Nós conseguimos sentir falta dele! Entende? Então nossa…

E SE no fim a Daenerys e o John REALMENTE tiverem um papel um pouquinho mais protagonista, isso não significa que a série vá perder o jeito, ou que vá perder a fidelidade a ela mesma. Até porque na vida real é assim. Uns tem papeis mais importante que outros. Mesmo que apenas em ALGUNS MOMENTOS. E talvez nesse momento, de na reta final da série, eles tenham esse papel. MAS SÓ PORQUE ELES POSSAM TER ESSE PAPEL A PARTIR DE AGORA NÃO SIGNIFICA QUE ELES FORAM PROTAGONISTAS A SÉRIE INTEIRA.

Eu só comecei a sentir essa ligação entre o John e a Daenerys no episódio que foi revelado que o John era filho da irmã do Ned. Só ali. Eu ainda não li todos os livros então não posso opinar como é o clima por lá. Mas na série não tinha sentido isso ainda não. Então não teve nada de previsível. Eu não senti isso como telespectadora.

Pode ser que agora esteja um pouquinho previsível. Mas pode ser um previsível do tipo da Arya. Sabemos o que vai acontecer, mas não sabemos exatamente como. E isso faz com que a série continue maravilhosa e interessante.

E AINDA. Pode ser que nada disso entre o John e a Daenerys aconteça e todo mundo quebre a cara. Mas só resta esperar e ver. Você não concorda? Se você se incomodar, porém, é só para de assistir. Mas eu sei que eu pelo menos vou ver ver até o fim, independente do que aconteça.

Resenha: A Bela e a Fera (2017)

Em 24.03.2017   Arquivado em Cinema, Destaque, Dicas, Resenha
A Bela e a Fera (2017) - Imagem de divulgação

A Bela e a Fera (2017) – Imagem de divulgação

E chegou a tão aguardada resenha do tão aguardado filme “A Bela e a Fera” da Disney, estrelado pela Emma Watson.

Se você já me acompanha há algum tempo aqui no blog sabe que eu já fiz uma resenha sobre outro filme da Bela e a Fera, um filme francês de 2014, estrelado por ” Léa Seydoux”. Um filme ótimo,  você pode ver a resenha clicando aqui.

Bem, a Bela e a Fera é  meu filme de princesas favorito da Disney . Eu amo o fato da Bela ser assim interessada por livros, como eu haha E eu acho lindo o ensino que o filme trás,  sobre gostar ou amar alguém para além das aparências. E minha cor favorita é  amarelo,  então não preciso nem dizer que amo o vestido da amarelo da Bela, né?

Sinopse A Bela e a Fera (2017):

A Bela e a Fera (2017)
Moradora de uma pequena aldeia francesa, Bela tem o pai capturado pela Fera e decide entregar sua vida ao estranho ser em troca da liberdade do progenitor.
No castelo ela conhece objetos mágicos e descobre que a Fera é na verdade um príncipe que precisa de amor para voltar à forma humana.

 

Resenha

Para começar, o filme é maravilhoso e extremamente fiel à animação da Disney de 1991. Isso para mim e para a maioria das pessoas é um ponto super positivo. Você quer sentir a nostalgia, os sentimentos e a lembrança de quando você assistiu o filme anos atrás. Para isso a história tem que ser fiel. E essa era a proposta. De filmes e histórias  diferentes da Disney já tem outras produções, muito boas por sinal,  como o longa francês de 2014 que já mencionei lá em cima.

O filme, bem como animação também é um  musical, então você escuta as músicas e já quer sair cantando junto, porque sim, você lembra das letras,  mesmo que apenas em português. O figurino também é lindo e maravilhoso <3

Temos também o acréscimo de algumas cenas, o que torna o filme mais longo que a animação.  Cenas estas que são maravilhosas e só tem a acrescentar no filme.

Vai rolar um pouco de spoiler, só clique  se você já viu o filme ou se não se importa de saber detalhes antes de assistir.

Comentário com SPOILER, clique por sua própria conta e risco!

Temos a cena inicial mostrando o príncipe num baile e a feiticeira chegando e lhe amaldiçoando.  Na animação a história inicial é  contada apenas por meio de imagens paradas mostradas nas folhas de um livro.

Temos a cena da Bela visitando à sua antiga casa em Paris. Nesta casa ela viveu apenas quando era um bebê. Lá descobrimos o que aconteceu com a sua mãe, que morreu pela peste negra.

Efeitos especiais

Na minha opinião os efeitos especiais não deixaram  nada a desejar,  pelo contrário.  Os objetos inanimados, agora animados haha foram bem feitos. A sequência do filme em que os personagens estão servindo o jantar para a Bela, onde há a música  “Be our guest” ou ” À Vontade” em português,  foi muito bem produzida.  É  uma cena difícil de ser feita!

 

Para mim ela tem certa  similaridade com aquela cena do filme da Disney do Aladdin (1992), onde o gênio se apresenta na caverna , brilhante <3 cena igualmente  ou até  ainda mais difícil de ser reproduzida num filme.

 

 

A Fera também achei impecável e bem parecida com o original. A única coisa que me pergunto é: Será que eles não poderiam ter feito o Lumiere (Candelabro) com as feições mais parecidas com a do desenho? Acho que isso não é complicado de fazer.  Mas eles optaram por não deixar ele com cara de vela e fizeram ele numa versão de homenzinho, como se fosse um detalhe do candelabro.

A Bela e a Fera (2017)

Outro que me agoniou um pouco foi a Sra. Potts  (bule), que está bem diferente da animação. Acho que a computação gráfica podia ter melhorado e deixado mais parecido os detalhes dela. O nariz dela no desenho é o bico da chaleira, já no filme os olhos,  boca e nariz são todos desenhados, que agonia haha. Mas claro que isso não é  muita coisa . Mas é  um detalhe.

A Bela e a Fera (2017)

Mas depois me peguei pensando porque eles teriam feito dessa forma, e presumi que as características que eles recriaram nesses objetos animados foi feito de uma forma a deixar eles mais parecidos com objetos do mundo real. Mas isso é só uma hipótese.

 

Atores

A Bela e a Fera (2017) - Imagem de divulgação

A Bela e a Fera (2017) – Imagem de divulgação

Emma Watson,  linda e maravilhosa atriz de quem sou fã há muito tempo porque sou viciada em Harry Potter… haha Quando eu soube que ela iria representar a Bela meu coração palpitou  e eu amei <3 ela ficou muito  bem de Bela. Eu estava louca para vê-la cantando e ela não me decepcionou.  Muita gente disse que ela não dublou bem as músicas mas eu não concordo,  não vi nenhum problema o. O

Mas não acho que é se seja o melhor dos melhores trabalhos da Emma, e falo isso com todo o amor do coração no mundo. Admito que achei ela um pouco presa, as vezes senti que ela precisava se soltar mais . Ficar mais sonhadora. Mas isso não me faz amar menos  a Bela ou a Emma ou o filme.  E muitas vezes esses detalhes que falei devem ser vistos pelo diretor, que não observou isso.

atores 2

Mas de qualquer forma eu amei a Emma como  Bela. A gente não nasce sabendo e fazendo tudo perfeito, né? As coisinhas que ela poderia ter feito melhor ela aprende com o tempo <3 E venhamos e convenhamos,  ela é perfeita pro papel . Muita gente diz que ela  escolheu errado, que deveria ter aceitado “La La Land” ao invés de ” A Bela e a Fera”. Eu discordo totalmente, ela combina muito mais com esse filme.  Só por causa que a Emma Stone (muito divina também por sinal) ganhou o Óscar?  A Emma mesma disse que não se importa com ganhar o Óscar ou não,  contanto que ela faça algo que ela gosta.

A Fera também não decepcionou, com o ator “Dan Stevens”, junto com a  computação gráfica.  Ele me convenceu totalmente. É  engraçado,  acredite ou não , quando eu era criança eu sempre gostei mais da Fera como Fera do quê como príncipe haha sempre que ele se transformava em príncipe eu achava ele feio rs ele tinha um pé bem grande e estranho kkk Ainda não decidi porém como me sinto sobre a Fera quando se transforma em príncipe no longa.

Destaques do filme

O grande destaque deste filme, porém,  na minha humilde opinião, foi do ator “Luke Evans”, como Gaston. Meu Deus,  o que foi essa atuação mais que perfeita ? Ele encarnou o personagem, se duvidar até melhor que a versão da animação.  Palmas e prêmios para ele!! E que voz  ein! Mas quem não lembra dele, ele já participou do terceiro filme da trilogia “O Hobbit”.

A Bela e a Fera (2017) - Imagem de divulgação

A Bela e a Fera (2017) – Imagem de divulgação

Outro que também merece destaque é  o ator “Josh Gad ” que interpretou o Le Fou. Também adorei a atuação e a voz dele ! Depois vamos falar lá na frente sobre a controvérsia que rolou sobre esse personagem,  do fato de a Disney ter insinuado super ultra e mega discretamente que ele é  gay.

A cena na taverna deste dois atores cantando foi simplesmente  brilhante <3

 

Batendo de frente com as críticas

Vi uma imagem circulando no Facebook onde a Bela era retratada como a Fera (Imagem abaixo), ou seja a história seria ao contrário.  Então as pessoas estavam questionando  “ah, e se a Bela fosse a fera? O príncipe ia gostar dela? “. Eu digo, IA SIM.

A Bela e Fera (2017)

Autor desconhecido!

A feiticeira justamente amaldiçoou o príncipe porque ele não se preocupava com os outros e ele julgava todos pela aparência.  Então ele teve que aprender da maneira mais difícil para mudar isto. Porque é justamente isso que trata a Bela e a Fera. O aprendizado do príncipe em perceber o que realmente importa.

E se formos inverter os papéis então temos que inverter tudo. Ou seja, a Bela teria que ter as mesmas características iniciais que o príncipe  tinha na versão original e o príncipe teria que ter as características da  Bela. Ela também teria que se preocupar com as aparências  e aí então feiticeira lhe lançaria a maldição e ela aprenderia o ensinamento.

Eu entendi o questionamento das pessoas, mas não concordo.  Sou feminista e acho que estão distorcendo o significado do filme. Porque ele justamente busca quebrar a questão do padrão de beleza exterior.

Sobre o Le Fou.

A Bela e Fera (2017)

Que escândalo ridículo sobre este personagem ser gay ou não.  É  muito, mas muito discreto, não sei nem se eu teria percebido se não tivessem falado. Tem uma cena de um segundo mais para o fim que aparece o Le Fou dançando com um outro cara.  Eu nem vi isso, quem viu foi meu irmão aí ele me falou.  Vou ter que prestar atenção quando eu assistir de novo.

Síndrome de Estocolmo

Outra crítica que andaram fazendo foi de que a Bela teria Síndrome de Estocolmo. A Síndrome de Estocolmo é uma síndrome onde as vítimas de um sequestro passam a se identificar com seu sequestrador. Mas na minha opinião não é o caso da Bela. Ela mantém sua opinião forte a respeito da Fera, ela se impõe e até recusa a jantar com ele. Só depois quando ela é salva dos lobos por ele que ela se permite sentir alguma empatia. Na verdade ela não o deixa lá para morrer na floresta. Ela simplesmente é humana. Quem deixaria outra pessoa para apodrecer na floresta?

A Bela continua a bater de frente com a Fera, porque ela não aceita ele ser rude. Até que ele percebe que não pode ser a Fera para sempre, voltando a descobrir o ser humano que há tanto tempo ele perdeu dentro de si, e ainda se tornar melhor do que ele era. Com o resgate da parte humana dentro dele, ele passa a tratar a Bela melhor. A partir do momento que ele a trata melhor, obviamente ela também responde melhor a ele. Surge uma amizade.

A própria Emma Watson respondeu sobre essas acusações sobre a Síndrome de Estocolmo. Veja no player abaixo:

Mas enfim.  O filme merece nota 10. Espetacular e eu super, ultra indico. Está na minha lista mental de filmes favoritos. Vou até ver novamente no cinema. E você o que achou ? Já assistiu?  Compartilha aqui com a gente, adoro ler seus cometário *-*

Confira o trailer abaixo:

Me Before You (Como eu era antes de você)

Em 06.06.2016   Arquivado em Cinema, Destaque, Resenha
Imagem de divulgação

Imagem de divulgação

Quem está com saudades de resenhas de filmes? o/

No último sábado, dia 04 de junho fui ao cinema com meu namorado assistir Me Before You. Eu não li o livro desta vez, mas eu vi o trailer e me encantei, eu sabia que eu tinha que assistir. Sabia também que o filme poderia render algumas lágrimas, eu não estava errada.

Sinopse: Will (Sam Claflin) é um garoto rico e bem-sucedido, até sofrer um grave acidente que o deixa preso a uma cadeira de rodas. Ele está profundamente depressivo e contrata uma garota (Emilia Clarke) do campo para cuidar dele. Ela sempre levou uma vida modesta, com dificuldades financeiras e problemas no trabalho, mas está disposta a provar para Will que ainda existem razões para viver.

O filme é baseado no livro homônimo, publicado em 2012 pela autora britânica Jojo Moyes.

Atores

Tem tantos atores maravilhosos no filme!

Quando eles foram aparecendo eu fui pensando “Oh olha o Neville, de Harry Potter”, para o ator Matthew Lewis interpretando o Patrick, namorado da Louise.

“O Tywin Lannister de Game of Thrones” para o ator Charles Dance como  Steven Traynor como o pai de Will Traynor.  E CLARO eu já tinha visto a incrível Emilia Clarke no trailer. A brilhante e maravilhosa Khaleesi também de Game of Thrones.

O ator Sam Claflin que interpreta o personagem Will Traynor,  eu também já conhecia. Ele participou da saga de Jogos Vorazes como Finnick Odair, um dos personagens que sobrevive na arena dos jogos (para você que não assistiu, os jogos são jogos de vida e morte, você deve garantir sua sobrevivência, apenas um sobrevive).

Então o elenco está incrível. Eu apenas os vi atuando nestes outros contextos, então foi muito interessante vê-los atuando como outros personagens.

A química entre os atores principais foi bem gostosa de assistir. Os atores foram bem escolhidos 🙂

Imagem de divulgação

Imagem de divulgação

Mas a atriz Emilia Clarke me surpreendeu bastante! Ela está completamente diferente da personagem que ela interpreta em Game of Thrones. Para quem não assiste essa série, ela é uma das personagens mais amadas pelo público hahaha

Ela é a Daenerys Targaryen, Filha da Tormenta, a Não Queimada, Mãe de Dragões, Rainha de Mereen, Rainha dos Ândalos e dos Primeiros Homens, Quebradora de Correntes, Senhora dos Sete Reinos, Khaleesi dos Dothraki, a Primeira de Seu Nome. 

Sim, ela é tudo isso só para você sentir a importância da personagem rs

E neste filme ela parece tãão mais nova e diferente, ela faz caras e bocas, ela se veste completamente diferente e bizarramente. Incrível. Na foto abaixo não dá para ver direito a roupa dela, mas de qualquer forma:

Na esquerda como Khaleesi e na direita como Louise Clark

Na esquerda como Khaleesi e na direita como Louise Clark

 

Sobre amar a si próprio não importa o quê

O incrível é que no dia que eu assisti o filme eu vi um vídeo que minha madrinha me mandou, sobre uma menina que minha mãe já tinha falado também.

Ela se chama Paola Antonini. Ela sofreu um acidente quando ela estava no carro com o namorado dela e ela teve que ter a perna amputada. Eu achei a história dela incrível, ela é uma pessoa muito forte, determinada, linda por dentro e por fora. Acho que o Will do filme foi totalmente o oposto dela. Ele não vê a vida da forma como a Paola enxerga. Como valorizar ainda mais as pessoas ao seu redor, valorizar ainda mais a vida e abraçá-la, agradecer por ter ainda a chance de viver e lutar cada dia para viver cada vez mais, abrir janelas de novas oportunidades que possam surgir e viver, viver feliz e bem, aceitando a sua diferença, aceitando os seus problemas, suas doenças. Amando a si mesmo.

É isso que falta para o Will Traynor. É isso que a Louisa quer que ele enxergue no filme (:

Mas é raro encontrar pessoas como Paola. Nós devemos nos inspirar nela. Eu, você, nós devemos nos inspirar.

Para ver o vídeo da Paola no canal dela clique no player abaixo:

E para ver o trailer do filme clique neste outro 🙂

O que você acha que vai acontecer? O que achou do filme? Está louco para assistir?

Não coloque spoilers nos comentários. Se focar colocar avise antes para as pessoas que não viram se aterem 🙂

Indicados ao OSCAR 2016

Em 27.02.2016   Arquivado em Cinema, Destaque
O Oscar 2016 acontece AMANHà, dia 28 de Fevereiro, no teatro Dolby, em Los Angeles. A apresentação do Oscar vai ser comandada pelo comediante e ator Chris Rock (O Seriado “Everybody Hates Chris” ou “Todo mundo odeia o Chris” em português, é inspirado na vida de Chris Rock).
O filme mais indicado foi “O Regresso” com 12 indicações; Em segundo lugar temos “Mad Max” com 10 indicações; Em terceiro, “Perdidos em Marte” com 7 indicações.
E olha que legal, o desenho animado BRASILEIRO “O Menino e o Mundo” está concorrendo ao Oscar de Melhor Animação!!!

Imagem de divulgação

“O Menino e o Mundo” está concorrendo com o filme da Pixar “Divertida Mente”, então é uma disputa muito acirrada. Mas na minha opinião, mesmo que ele não ganhe o prêmio já é uma grande conquista para o Brasil! E o legal é que não está concorrendo como filme estrangeiro, mas  está lado a lado dos filmes “hollywoodianos”.

Eu tenho meus preferidos, como por exemplo: Melhor ator para Leonardo DiCaprio, melhor atriz para Saoirse Ronan, melhor trilha sonora para John Williams, melhor roteiro original estou na dúvida entre Divertida Mente e Ex Machina e melhor figurino também estou na dúvida entre Cinderela e o Regresso. Por último e não menos importante estou na dúvida entre O Menino e o mundo e Divertida Mente para melhor animação. Eu não posso escolher o Menino e o Mundo porque realmente ainda não assisti. Mas ele já entra na minha lista de preferência por estar onde está.

A verdade é que não assisti todos os filmes indicados, então torço por entre aqueles que eu assisti. Amanhã vou acompanhar a cerimônia e saber se meus favoritos ganham.

Veja a lista completa abaixo:

 

Melhor filme

  • A Grande Aposta
  • Brooklyn
  • Mad Max: Estrada Da Fúria
  • O Quarto De Jack
  • O Regresso
  • Perdido Em Marte
  • Ponte Dos Espiões
  • Spotlight – Segredos Revelados

 

Melhor Direção

  • Adam McKay – A Grande Aposta
  • Alejandro González Iñárritu – O Regresso
  • George Miller – Mad Max: Estrada Da Fúria
  • Lenny Abrahamson – O Quarto De Jack
  • Thomas McCarthy – Spotlight – Segredos Revelados

 

Melhor Ator

  • Bryan Cranston – Trumbo – Lista Negra
  • Eddie Redmayne – A Garota Dinamarquesa
  • Leonardo DiCaprio – O Regresso
  • Matt Damon – Perdido Em Marte
  • Michael Fassbender – Steve Jobs

 

Melhor Atriz

  • Brie Larson – O Quarto De Jack
  • Cate Blanchett – Carol
  • Charlotte Rampling – 45 Anos
  • Jennifer Lawrence – Joy: O Nome Do Sucesso
  • Saoirse Ronan – Brooklyn

 

Melhor Ator Coadjuvante

  • Christian Bale – A Grande Aposta
  • Mark Ruffalo – Spotlight – Segredos Revelados
  • Mark Rylance – Ponte Dos Espiões
  • Sylvester Stallone – Creed: Nascido Para Lutar
  • Tom Hardy – O Regresso

 

Melhor Atriz Coadjuvante

  • Alicia Vikander – A Garota Dinamarquesa
  • Jennifer Jason Leigh – Os 8 Odiados
  • Kate Winslet – Steve Jobs
  • Rooney Mara – Carol
  • Rachel McAdams – Spotlight – Segredos Revelados

 

Melhor Roteiro Original

  • Divertida Mente – Pete Docter, Meg LeFauve, Josh Cooley
  • Ex Machina- Alex Garland
  • Ponte Dos Espiões – Matt Charman
  • Spotlight – Segredos Revelados –  Josh Singer e Tom McCarthy
  • Straight Outta Compton – A História Do N.W.A. – Jonathan Herman e Andrea Berloff


Melhor Roteiro Adaptado

  • A Grande Aposta –  Charles Randolph e Adam McKay
  • Brooklyn –  Nick Hornby
  • Carol – Phyllis Nagy
  • O Quarto De Jack –  Emma Donoghue
  • Perdido Em Marte –  Drew Goddard

 

Melhor Filme Estrangeiro

  • A War (Dinamarca)
  • Cinco Graças (França)
  • O Abraço Da Serpente (Colômbia)
  • O Filho De Saul (Hungria)
  • Theeb (Emirados Árabes)

 

Melhor Animação

  • Anomalisa
  • As Memórias De Marnie
  • Divertida Mente
  • O Menino E O Mundo
  • Shaun: O Carneiro

Melhor Documentário em Longa-metragem

  • Amy
  • Cartel Land
  • O Peso Do Silêncio
  • What Happened, Miss simone?
  • Winter on Fire


Melhor Documentário em Curta-metragem

  • A Girl in the River: The Price of forgiveness
  • Body team 12
  • Chau, beyond the lines
  • Claude Lanzmann: Spectres of the Shoah
  • Last day of freedom


Melhor Animação em Curta-metragem

  • Bear Story
  • Prologue
  • Sanjay’s Super Team
  • We Can’t Live Without Cosmos
  • World of tomorrow


Melhor Figurino

  • A Garota Dinamarquesa
  • Carol
  • Cinderela
  • Mad Max: Estrada Da Fúria
  • O Regresso


Melhor Maquiagem e Penteado

  • Mad Max: Estrada Da Fúria
  • O Centenário Que Fugiu Pela Janela E Desapareceu
  • O Regresso


Melhor Fotografia

  • Carol
  • Mad Max: Estrada Da Fúria
  • O Regresso
  • Os 8 Odiados
  • Sicario: Terra De Ninguém


Melhor Edição

  • A Grande Aposta
  • Mad Max: Estrada Da Fúria
  • O Regresso
  • Spotlight – Segredos Revelados
  • Star Wars: O Despertar Da Força


Melhores Efeitos Visuais

  • Ex Machina
  • Mad Max: Estrada Da Fúria
  • O Regresso
  • Perdido Em Marte
  • Star Wars: O Despertar Da Força


Melhor Canção Original

  • “Earned It”, Cinquenta Tons De Cinza
  • “Manta Ray”, de A Corrida Contra A Extinção
  • “Simple Song #3”, de Juventude
  • “Til It Happens To You”, de  The Hunting Ground
  • “Writing’s On The Wall”, de 007 Contra Spectre

Melhor Edição de Som

  • Mad Max: Estrada Da Fúria
  • O Regresso
  • Perdido Em Marte
  • Sicario: Terra De Ninguém
  • Star Wars: O Despertar Da Força


Mixagem de Som

  • Mad Max: Estrada Da Fúria
  • O Regresso
  • Perdido Em Marte
  • Ponte Dos Espiões
  • Star Wars: O Despertar Da Força


Produção de Arte

  • A Garota Dinamarquesa
  • Mad Max: Estrada Da Fúria
  • O Regresso
  • Perdido Em Marte
  • Ponte Dos Espiões

Melhor Trilha Sonora

  • Carol – Carter Burwell
  • Os 8 Odiados – Ennio Morricone
  • Ponte Dos Espiões – Thomas Newman
  • Sicario: Terra De Ninguém –  Jóhann Jóhannsson
  • Star Wars: O Despertar Da Força – John Williams

 


Melhor Curta-metragem

  • Ave Maria
  • Day one
  • Everything will be okay (Alles Wird Gut)
  • Shok
  • Stutterer

 

Nunca consegui assistir o Oscar até o final porque é no domingo e termina muito tarde. Se eu não conseguir ver vou gravar para ver depois. Vamos ver o que rola?  Você também tem favoritos? Vai assistir? Comenta aqui 🙂

Página 1 de 212
Clique para subir