Encruzilhadas da vida e profissão: Eu amo o que eu faço?

Em 31.05.2017   Arquivado em Destaque, Pessoal, Reflexão

Eu ia escrever um post falando sobre paixão mas lembro que já escrevi isto algum tempo atrás quando questionei se o amor era cego. Lá eu acabei por diferenciar amor de paixão. Para ver o post completo clique aqui 🙂

Resolvi então abordar hoje sobre a paixão de forma diferente do que a de um sentimento amoroso entre duas pessoas. Mas a paixão para com a sua profissão. Você tem paixão pelo que faz?

A maioria das pessoas vive e trabalha sem seguir a verdadeira paixão. Mas isso também se dá pelo sistema que vivemos. Precisamos de dinheiro para sobreviver, então nem sempre seguir sua paixão vai te dar um retorno financeiro bom e rápido. Isso é algo muito triste de se pensar.

Estou numa fase de refletir sobre isso e me aperta o coração. Parece que o mundo de adulto independente, que precisa de dinheiro para fazer a vida, está batendo na minha porta. Termino a faculdade este ano e as perguntas sobre o que realmente é a paixão da minha vida batem à porta.

Eu sempre me imaginei fazendo algo que eu gosto, que me traga paixão. Mas agora eu nem sei mais o que eu gosto. Para vocês entenderem melhor… Eu faço faculdade de música, mais especificamente, Bacharelado em Piano. Que já é algo diferente do que a maioria das pessoas costuma fazer. Geralmente quem faz música faz pelo prazer, não pelo dinheiro. Por que né?   Cadê a valorização ? rs

Então eu sempre pensei desse jeito. Quero fazer algo que eu gosto. O retorno financeiro virá por conta própria, pois quando amamos ou temos paixão por algo, fazemos aquilo bem. Logo, fazendo algo bem as pessoas te procuram e você vai ter uma vida tranquila em relação ao dinheiro.

Mas acontece que eu sinto que estou diferente de como quando entrei na faculdade. Aquela paixão, aquele fogo de prazer não está mais aqui. Não sei se é porque eu imaginei que na música seria uma coisa e foi outra.Ou se é por não saber que área da música seguir quando eu terminar a graduação… Ou se é porque eu queria ter oportunidade em outras áreas da música das quais não me especializei e penso que agora não dá mais tempo. Ou ainda porque eu queria tocar mais, ou porque meu estilo é outro… Ou quem sabe até porque eu realmente deixei de ver a música como uma meta de trabalho mesmo. Eu me pergunto: Será que no fim é só um hobbie?

E até já me questionei: Será que estou com medo de seguir essa área e não me realizar profissionalmente e financeiramente e isso me deixa assustada e me faz pensar que não é mais o que eu quero?

Passos para se auto-conhecer?

Leda Carter via Flickr
Tem coisas na música que eu acho que gostaria de fazer mas não sinto que eu seja boa nisso. A faculdade me fez pensar isso. Eu sei que ainda amo música. Mas será que de forma profissional?

SERÁ que eu realmente não quero ou o sistema me fez não querer? Será que ainda existe aquela paixão dentro de mim? Será que eu consigo? Será que vale a pena tentar? Será que eu não me daria melhor em outra área? E se eu não for boa no que eu quiser seguir?

Eu não sei mais o que eu gosto de fazer e isso me assusta. Eu não sei mais qual é minha paixão. Isso não é desesperador?

Vi alguns sites falarem sobre passos de auto-conhecimento.

Seguia mais ou menos assim : Se avalie, se conheça.
Bom, isso eu já fiz.

O seguinte passo poderia ser algo como: Questione-se do porquê da sua insatisfação.

Já me questionei sobre a causa da minha insatisfação. Mas talvez  algumas coisas eu não tenha conseguido enxergar completamente. Mas sei que uma das minhas insatisfações é a minha insegurança que não me faz seguir em frente. Nesse caso, o que eu faço? Ninguém tem uma fórmula secreta para nos ajudar a auto desvendar esses mistérios do nosso ser.

E aí que então eles mandam o terceiro passo: Procure um profissional para ajuda.

Então talvez os profissionais tenham uma “fórmula secreta” rs Pelo menos eles têm uma fórmula para guiar o paciente e ajudá-lo a descobrir.
Bem que podiam compartilhar isso com o mundo né? hahaha Não quer dizer que depois eu não possa ir num profissional. Mas nem sempre isso é possível, sabe? Tempo, condições financeiras, locomoção…

Paixão ou amor?

Lá em cima eu comentei sobre um post que fiz diferenciando amor de paixão (Post: O amor é cego?). Nele eu falo que a paixão é quando vemos tudo lindo e maravilhoso no outro e apenas depois de um tempo que começamos a enxergar os defeitos.

Será que foi isso que aconteceu comigo na música? Eu via tudo lindo e maravilho e agora que a paixão passou eu só enxergo os defeitos ?

Mas lá eu também digo que a paixão pode sim virar amor. Nessa etapa você enxerga e aceita os defeitos do outro.

Será que eu mesma me dei a resposta quando escrevi o post em 2014? Nesse caso não são bem “defeitos”. São dúvidas e questionamentos. Mas podemos analisar da mesma forma.

Talvez eu esteja naquela encruzilhada que devo decidir por um caminho ou outro. Ou eu vou transformar a paixão em amor ou vou largar a paixão e mudar de caminho.

Mas como compreender a fundo se é paixão ou amor? Para onde devo seguir? Vou passar o resto do ano refletindo isso da maneira mais calma que eu conseguir. Mas com certeza vocês vão descobrir por aqui o que eu decidir ! Até lá vou vivendo a vida. Um passo e um dia de cada vez.

 

CommentLuv badge

Clique para subir