Categoria "Pessoal"

TAG: Os últimos (últimas coisas que você fez)

Em 15.08.2017   Arquivado em tags

Mais um dia de TAG. E hoje vou responder sobre as últimas  coisas que eu fiz… Vamos lá?

1.A última série que você viu

5º episódio da 7ª temporada de Game of Thrones

 

2. O último filme que você viu

De volta para o futuro 3

 

3. A última música que você ouviu

Overprotected – Britney Spears hahahahha

 

4. A última roupa que usou

Uma calça preta e um moletom preto

 

5. A última coisa que comeu

pão com queijo na torradeira

 

6.O último doce que comeu

Uma torta de chocolate com recheio de chocolate branco e preto

 

7. A última conversa no Whatsapp

Com meu namorado lindo <3

 

8. A última viagem

Capivari – São Paulo,  em abril para visitar meu namorado 🙂

 

9. A última paixão

Abacate :O <3

 

10. A última frase

Que barulho é esse? (perguntei do meu irmão enquanto estava escrevendo as respostas da tag kkk)

 

11. A última ligação

Com meu namorado lindo <3

 

12.Último blog visitado

Não lembro :O andei visitando vários…

 

13.A última aba do navegador

Google rs

 

14. O último esmalte

Não tenho a mínima ideia. Minhas unhas não estão muito bem cuidadas hehe faz tempo que não pinto :/

15. O último livro

Até o fim da queda

 

Até o fim da queda – Ivan Mizanzuk

 

16. A última coisa que bebeu

Água

Carta aberta para o meu amor

Em 12.06.2017   Arquivado em Destaque, Pessoal
Amor

Berlim – Alemanha 2016

Amor. Tudo conspirou a nosso favor. Eu já tinha tentado tantos intercâmbios desde que entrei na faculdade em 2012… Tentei bolsas e bolsas de estudo e nada deu certo. A vida é escrita certa por linhas tortas… A gente reclama quando as coisas não dão certo, ficamos tristes, arrasados, mas depois vemos que o que aconteceu foi para o melhor. E o meu melhor foi ir no intercâmbio em 2016 para a Irlanda, pois foi lá que eu te conheci.

Em 8 meses nós passamos por muita coisa que muitos casais não passam nem metade durante anos! É difícil explicar, mas tudo é ainda mais intenso no intercâmbio. Ambos sabemos disso. E amor, foram tantos lugares que conhecemos juntos, tantas pessoas, tantos momentos inesquecíveis… E agora estamos nesta etapa de namoro à distância. Uma etapa difícil, mas necessária. E estamos conseguindo passar por ela muito bem meu amor.

Claro que às vezes quando eu caminho pela rua e vejo um casal de mãos dadas eu penso na gente. Aí eu me viro para o outro lado e vejo outro casal se abraçado, rindo, indo juntos para algum lugar… Aí eu então me imagino ao seu lado fazendo a mesma coisa.

Nessas horas, admito, eu tenho um “Q” de invejinha desses casais que moram na mesma cidade. Esse é o lado ruim da distância. Eu sei que como eu, você também sente vontade de fazer algo junto e simplesmente me ligar a qualquer hora e dizer: “Amor? Vamos dar uma saída?” ou “Amor, hoje não tô muito legal, vamos assistir um filminho em casa em baixo das cobertas?”. Ou “Amor, vem almoçar em casa aqui hoje!”. Coisas tão simples que não podemos fazer no dia a dia e dá uma falta danada…

Mas amor, ao mesmo tempo eu sei que isso é temporário. Então cada segundinho longe de você vale a pena quando penso à longo prazo. O lado positivo é que a gente sabe que tem alguém que nos ama independente de apenas um contato físico e que existe muito amor para superar essa distância. Não é todo mundo que consegue, sabe?

Te amo de um jeito único e inexplicável. Eu sei hoje que nunca amei alguém de verdade. Sabe, o amor é calmo, confiante, tranquilo, é lindo.  Eu nunca antes consegui me imaginar vendo um futuro junto com outra pessoa. E com você, às vezes eu me pego imaginando um futuro à dois, e quem sabe depois (bem depois, amor), um futuro à 3 ou à 4, quem sabe.

Londres

Inglaterra – Londres 2016

 

Um amor entre encontros e despedidas

Quando a gente se vê é tão bom, amor. Eu me sinto em paz, me sinto leve, me sinto amada, me sinto querida, me sinto simplesmente feliz e me sinto transbordar!

Aquela sensação de te esperar no aeroporto ou na rodoviária e ver você saindo pela porta … Ou quando eu estou do outro lado e estou chegando aí e te vejo no final da escada rolante, me esperando com o sorriso mais lindo que eu poderia desejar <3 Só a gente sabe.  Minha vontade é de pular no seu colo e te abraçar e te dar muitos beijos!

 

saudade

 

É bom saber que eu tenho um namorado tão lindo, tão especial, tão companheiro, tão maravilhoso, tão fofo, tão romântico, tão inteligente, tão especial, tão …tão…tão ÚNICO. O que mais eu poderia pedir, meu Deus? Acho que eu achei uma pessoa tão perfeita para mim que ele quis fazer uma prova real. Aí te colocou longe de mim para nos testar hahaha Mas nos estamos mais que aprovados, meu bem.

Talvez este nosso próximo encontro seja o que ficaremos mais tempo distantes. Mas já sabíamos disso. São fases e fases. Mas juntos nós conseguimos vencer a distância. Porque, amor. Eu te amo independente de você estar longe ou perto. Eu te amo com todos os seus defeitos e qualidades. Eu te amo do jeito que você é.
Sabe, existe aquela famosa frase: “O amor é cego”. Eu não concordo com ela. Eu acho que a paixão é cega. Eu já falei disso num post lá de 2014.

Lá eu digo:

O amor não é cego. Na verdade o amor é capaz de enxergar tudo. Não! Melhor que isso, ele enxerga e aceita o que vê. Se você realmente ama alguém você aceita a pessoa como ela é, você a ama mesmo com os seus defeitos.

E é assim que eu te amo amor. Em cada detalhe. Em cada pedaço. Em cada instante. Para todo sempre. Feliz dia dos namorados meu lindo. O segundo de muitos e eternos que virão <3

amor me carregando

Metrô Berlim – Alemanha 2016

 

PS: Lembra dessa foto? Ela representa bastante a gente ein? rs Eu te amo.

 

Dica especial para quem namora à distância:

Agora dá para assistir ao Netflix juntinhos, mesmo distantes fisicamente !!! Isso mesmo!

É só clicar  nesse link . Você deve abrir o link no Google Chrome. Só funciona nele. Nesse endereço você tem outro link que é para instalar uma extensão. Quando instalado vai aparecer um ícone “NP” no canto superior esquerdo do seu navegador Chrome.

Um dos dois pombinhos abre a Netflix no filme ou série escolhido e clica nesse ícone para ativar a extensão. Vai aparecer um link para você mandar para o seu (sua) amado (a) . Ele clica no link e clica no ícone da extensão também. “Voilà”. Tudo lindo. Agora vocês assistem o filme ao mesmo tempo. Quando um pausa o filme, no pc do outro ocorre o mesmo! Não é genial?

Encruzilhadas da vida e profissão: Eu amo o que eu faço?

Em 31.05.2017   Arquivado em Destaque, Pessoal, Reflexão

Eu ia escrever um post falando sobre paixão mas lembro que já escrevi isto algum tempo atrás quando questionei se o amor era cego. Lá eu acabei por diferenciar amor de paixão. Para ver o post completo clique aqui 🙂

Resolvi então abordar hoje sobre a paixão de forma diferente do que a de um sentimento amoroso entre duas pessoas. Mas a paixão para com a sua profissão. Você tem paixão pelo que faz?

A maioria das pessoas vive e trabalha sem seguir a verdadeira paixão. Mas isso também se dá pelo sistema que vivemos. Precisamos de dinheiro para sobreviver, então nem sempre seguir sua paixão vai te dar um retorno financeiro bom e rápido. Isso é algo muito triste de se pensar.

Estou numa fase de refletir sobre isso e me aperta o coração. Parece que o mundo de adulto independente, que precisa de dinheiro para fazer a vida, está batendo na minha porta. Termino a faculdade este ano e as perguntas sobre o que realmente é a paixão da minha vida batem à porta.

Eu sempre me imaginei fazendo algo que eu gosto, que me traga paixão. Mas agora eu nem sei mais o que eu gosto. Para vocês entenderem melhor… Eu faço faculdade de música, mais especificamente, Bacharelado em Piano. Que já é algo diferente do que a maioria das pessoas costuma fazer. Geralmente quem faz música faz pelo prazer, não pelo dinheiro. Por que né?   Cadê a valorização ? rs

Então eu sempre pensei desse jeito. Quero fazer algo que eu gosto. O retorno financeiro virá por conta própria, pois quando amamos ou temos paixão por algo, fazemos aquilo bem. Logo, fazendo algo bem as pessoas te procuram e você vai ter uma vida tranquila em relação ao dinheiro.

Mas acontece que eu sinto que estou diferente de como quando entrei na faculdade. Aquela paixão, aquele fogo de prazer não está mais aqui. Não sei se é porque eu imaginei que na música seria uma coisa e foi outra.Ou se é por não saber que área da música seguir quando eu terminar a graduação… Ou se é porque eu queria ter oportunidade em outras áreas da música das quais não me especializei e penso que agora não dá mais tempo. Ou ainda porque eu queria tocar mais, ou porque meu estilo é outro… Ou quem sabe até porque eu realmente deixei de ver a música como uma meta de trabalho mesmo. Eu me pergunto: Será que no fim é só um hobbie?

E até já me questionei: Será que estou com medo de seguir essa área e não me realizar profissionalmente e financeiramente e isso me deixa assustada e me faz pensar que não é mais o que eu quero?

Passos para se auto-conhecer?

Leda Carter via Flickr
Tem coisas na música que eu acho que gostaria de fazer mas não sinto que eu seja boa nisso. A faculdade me fez pensar isso. Eu sei que ainda amo música. Mas será que de forma profissional?

SERÁ que eu realmente não quero ou o sistema me fez não querer? Será que ainda existe aquela paixão dentro de mim? Será que eu consigo? Será que vale a pena tentar? Será que eu não me daria melhor em outra área? E se eu não for boa no que eu quiser seguir?

Eu não sei mais o que eu gosto de fazer e isso me assusta. Eu não sei mais qual é minha paixão. Isso não é desesperador?

Vi alguns sites falarem sobre passos de auto-conhecimento.

Seguia mais ou menos assim : Se avalie, se conheça.
Bom, isso eu já fiz.

O seguinte passo poderia ser algo como: Questione-se do porquê da sua insatisfação.

Já me questionei sobre a causa da minha insatisfação. Mas talvez  algumas coisas eu não tenha conseguido enxergar completamente. Mas sei que uma das minhas insatisfações é a minha insegurança que não me faz seguir em frente. Nesse caso, o que eu faço? Ninguém tem uma fórmula secreta para nos ajudar a auto desvendar esses mistérios do nosso ser.

E aí que então eles mandam o terceiro passo: Procure um profissional para ajuda.

Então talvez os profissionais tenham uma “fórmula secreta” rs Pelo menos eles têm uma fórmula para guiar o paciente e ajudá-lo a descobrir.
Bem que podiam compartilhar isso com o mundo né? hahaha Não quer dizer que depois eu não possa ir num profissional. Mas nem sempre isso é possível, sabe? Tempo, condições financeiras, locomoção…

Paixão ou amor?

Lá em cima eu comentei sobre um post que fiz diferenciando amor de paixão (Post: O amor é cego?). Nele eu falo que a paixão é quando vemos tudo lindo e maravilhoso no outro e apenas depois de um tempo que começamos a enxergar os defeitos.

Será que foi isso que aconteceu comigo na música? Eu via tudo lindo e maravilho e agora que a paixão passou eu só enxergo os defeitos ?

Mas lá eu também digo que a paixão pode sim virar amor. Nessa etapa você enxerga e aceita os defeitos do outro.

Será que eu mesma me dei a resposta quando escrevi o post em 2014? Nesse caso não são bem “defeitos”. São dúvidas e questionamentos. Mas podemos analisar da mesma forma.

Talvez eu esteja naquela encruzilhada que devo decidir por um caminho ou outro. Ou eu vou transformar a paixão em amor ou vou largar a paixão e mudar de caminho.

Mas como compreender a fundo se é paixão ou amor? Para onde devo seguir? Vou passar o resto do ano refletindo isso da maneira mais calma que eu conseguir. Mas com certeza vocês vão descobrir por aqui o que eu decidir ! Até lá vou vivendo a vida. Um passo e um dia de cada vez.

Memórias dos meus primeiros blogs

Em 04.04.2017   Arquivado em Pessoal

Este post vai ser um pouquinho diferente, ele faz parte de uma gincana que estou participando. A gincana foi uma iniciativa de um grupo de interação do Facebook, chamado “United Blogs”.

Então… Se vocês clicarem na aba “O blog” vão ver que eu já falei um pouquinho dos meus primeiros anos de blog por lá. Clique aqui para ver a página.  Mas aqui vou falar mais detalhes. Eu comecei a blogar lá pelo ano de 2005, quando eu estava na quinta série e tinha 11 aninhos… Se eu não me engano meu primeiro blog se chamava “girassolgabizinha“.  Hahaha  que nome ein? Mas meu próximo nome de blog foi pior ainda rsrs Veja mais à frente.

 Nessa época eu costumava publicar mais sobre a minha vida, como um diário.  Mas nem escrevia muito. Lembro de compartilhar gifs e criar as famosas “Dolls maker”. Adorava brincar com aquilo hahaha

Eu passava também muito tempo fazendo novos layouts para o meu blog. Mudava demaaais. Não parava quieta, mudava se duvidar de mês em mês. E naquela época era bem comum os layouts terem pessoas famosas como tema.

Eu também costumava postar mensagens de inspiração para o dia a dia, feitas em gif. Mal feito mas fazia, achando que estava arrasando rs

Eu achei uma imagem que era de um antigo gif que eu fiz para o meu primeiro blog. Eu não achei o arquivo em gif então vai ser apenas a imagem mesmo. Criei coragem e resolvi  postar aqui (mesmo que vocês tenham vergonha alheia por mim hahaha)

E aí  miguxos, o que acharam? Hahaha  Posso ficar com vergonha agora ? :X

Acho que esta imagem abaixo também foi da mesma época. A imagem também era um gif, mas não tenho o arquivo original. O gif era de Harry Potter, é  claro hehe 

Até que esse está bonitinho, não é  gente? Hahaha <3 Esses são os arquivos que encontrei do meu primeiro blog.

 

Meus outros blogs

O meu segundo blog foi o “gabikakinha.zip.net”. Sim. Que tristeza de nome. Graças a minha mãe e irmãos que me alertaram com o que o nome do blog parecia remeter eu mudei de nome rs  Acho que o próximo nome foi “pmaniaca.zip.net” de Potter Maníaca. Depois foi “pottergabi.zip.net”. Dois nomes seguidos que tinham a ver com Harry Potter.

Depois foi “gabi-lives” e depois “dreams-love.zip.net”. Isso tudo na época do uol blog, o famoso .zip.net. Depois me afastei um pouco de blogs e anos mais tarde quando voltei para esse mundo fui parar no Blogger.  Mas aí não lembro dos nomes que tive… Porém comecei a manter mais o blog, sem ficar trocando de layout toda hora haha  os posts  também já estavam diferentes. Eu já era mais velha e escrevia melhor. Não escrevia apenas o blog como um diário,  já comecei a escrever temas de meu interesse. Mas eu não postava com uma certa regularidade e ficava tempos sem escrever e voltava do nada.

Bom. Abaixo eu coloco uma “coletânea” de layouts que eu fiz para esses meus antigos blogs que comentei acima. Divirtam-se hahaha

 

 

Hahahaha o que acharam ? Sentiram um pouco de nostalgia daqueles tempos?  Haha Eu senti ! Saudades daquele tempo *-* Era tão gostoso e divertido.  Os blogueiros interagiam mais entrei si na blogosfera.

E vocês?  Há quanto tempo blogam?   E se não blogam há quanto tempo acompanham blogs?  Lembram dessa época?

Vamos falar de… Perfeccionismo

Em 06.03.2017   Arquivado em Auto ajuda, Destaque, Pessoal, Reflexão

Será que você é perfeccionista?

  • Você sente como se você não fosse bom em nada?
  • Você deixa de fazer algum projeto, apresentação ou outra coisa porque você AINDA não se sente bom suficiente para fazer aquilo?
  • Você diz que tal tarefa ainda não está pronta para ser executada porque ela ainda não está boa o suficiente, mas na sua cabeça você acredita que se dominá-la um pouco mais aí sim um dia você vai conseguir finalmente executar a tal tarefa?
  • Esse um dia que você diz que vai se sentir seguro parece não chegar nunca?
  • Você se sente frustrado com os seus objetivos que não parecem estar se realizando ou estão demorando de mais para evoluírem?
  • Você se preocupa constantemente com o que os outros vão pensar de você?
  • Você tem medo de falhar?
  • Você não se importa de ver outras pessoas cometendo erros ou falhando, mas quando se trata de um erro cometido por você, não há perdão?

Você se identificou com  os itens acima? Bom, então você deve ser perfeccionista. Eu sou perfeccionista e é exatamente do jeito que descrevi nos tópicos acima que eu me sinto.

No perfeccionismo nós queremos realizar bem as tarefas que fazemos e ao mesmo tempo temos medo das consequências que uma tarefa que não foi bem executada irá trazer para nós.

Então enquanto estamos no processo de fazer a tarefa já estamos pensando nas consequências caso não a executarmos “apropriadamente”.

Você consegue enxergar o problema disso?

Pense comigo:

Enquanto você quer dar o melhor de sim numa tarefa, você está preocupado com uma coisa no futuro que é incerta. Ou seja, você não está dando total dedicação à aquilo que está executando, porque seu pensamento está no futuro.

Você não está concentrado 100% no momento, no agora.

Então o próprio medo de executar mal uma tarefa, faz você não dar o seu melhor naquele momento pois você não deu o seu 100% na hora que precisava.

DAR o seu 100% porém, não é PERFEIÇÃO. Não é fazer as coisas PERFEITAS. Mas sim fazer as coisas da melhor forma que você puder.

Mas Gabriela, eu achei que o perfeccionismo era algo bom. Algo positivo.

Bem, depende muito do seu perfeccionismo. Ou do que você entende por perfeccionismo. A meu ver:

  • O perfeccionismo é ruim quando não te deixa suceder nos seus objetivos.
  • O perfeccionismo é ruim quando te deixa deprimido e frustrado.
  • O perfeccionismo é ruim quando te torna uma pessoa indecisa porque você tem medo de tomar decisões já que ao escolher um lado você pode ter feito a escolha errada.
  • O perfeccionismo é ruim quando você deixa de se expor ou tomar riscos porque tem medo de falhar e você ser visto de forma negativa.

Tá bom, Gabriela. Entendi. Mas e então o que eu faço?

Eu não tenho ainda uma resposta boa para isso porque eu também estou no processo de vencer esse perfeccionismo que me deprime e me deixa ansiosa. Escrever aqui no blog é uma forma de ajudar a mim e a outras pessoas que estão na mesma situação que eu ou que de certa forma se identificam com algumas coisas que são colocadas aqui.

E o meu plano é exatamente compartilhar com vocês e ouvir de vocês para que de forma mútua consigamos ajudar um ao outro.

Então proponho um primeiro exercício para a gente.

  • Se concentre no aqui e agora nas tarefas que você estiver realizando.

Vai ser difícil? Vai. Eu mesma já fiz esse exercícios várias vezes mas não cheguei na meta final que é  chegar num ponto que passe a ser natural.  Eu já consigo às vezes, quando me lembro de não ficar me atormentando durante alguma atividade com pensamentos do tipo: E se eu não conseguir? Será que eu termino até o final do ano? E se não ficar bom?

Mas é difícil. Mas não é impossível. Se você for escrever um texto, treinar algum instrumento, dança ou qualquer outra coisa que enalteça seu lado perfeccionista, tente observar se você está preocupado se aquilo vai ficar perfeito ou não.

Se observar esses pensamentos aparecerem, tente tirá-los da cabeça pelo simples ato de se concentrar ainda mais no que você está fazendo. Repita isso quantas vezes forem necessárias. Porque sim, seu cérebro vai voltar a bater na mesma tecla.

Isso ajuda também na ansiedade. Que na minha opinião está atrelada com o perfeccionismo. Mas isso é assunto para outro post.

E aí? Você vai me acompanhar nessa jornada? Vamos controlar nosso perfeccionismo e melhorar nossa qualidade de vida juntos? 🙂

Página 1 de 512345
Clique para subir