Categoria "Dicas"

Duo Multueira : Resenha do CD + Entrevista exclusiva com o Duo !

Em 20.08.2017   Arquivado em Destaque, Dicas, Música, Resenha
Duo multueira arte

Arte por Mariana Chinato

 

Demorou mais saiu! Hoje temos um post muito especial no blog, sobre o Duo Multueira. O Duo é composto por Pedro Henrique Silva (violão e voz) e Beatriz Woeltje Schmidt (percussão e voz) e foi formado no ano de 2014.

Eu tive a sorte de entrar na mesma turma da faculdade de música (UDESC) deste dupla de músicos e ver a caminhada deles um pouquinho mais de perto. No último dia 08 de agosto fui prestigiá-los no show de lançamento do seu primeiro CD que aconteceu no Teatro Álvaro de Carvalho (TAC) às 20h em Florianópolis.

Para produzirem e lançarem seu CD homônimo, o Duo lançou uma campanha pelo site Benfeitoria. A campanha pelo Benfeitoria contou com a ajuda financeira de 152 pessoas! Incrível, não? Fora outras pessoas que ajudaram de outras maneiras além do site. No Benfeitoria, cada quantia doada gerava uma recompensa para o doador. Por exemplo: Se você doasse 30 reais ganharia uma cópia do CD mais agradecimento especial no encarte e nas redes sociais. Se doasse 60 reais receberia uma cópia do CD, agradecimento no encarte do CD e nas redes sociais e mais uma blusa com a logo do Duo. E assim sucessivamente… Quanto mais você doasse, mais recompensas você teria.

O dinheiro arrecado pelo Duo na campanha foi aproveitado na seguinte forma:

 

Imagem retirada no site do Benfeitoria do Duo Multueira

Você pode ver mais detalhadamente o que foi feito em cada etapa pelo site Benfeitoria/DuoMultueira. Foi tudo muito transparente e bem feito e pudemos ver isto refletido no dia do show de lançamento.

Gravado e masterizado no ValveState Studio, com a mixagem de Francis Pedemonte e a produção artística de Luanda Wilk, o CD também contou com participações especiais de músicos como Nico Nicodemos, Elias Zanon, Israel Dutra, Fábio Melo e Bruno Arceno, os quais também estiveram presentes no show de lançamento no TAC.

Foi interessante acompanhar o Duo se formar, se desenvolver, gravar seu primeiro trabalho, vê-los crescer desde os primeiros shows até agora e perceber um amadurecimento claramente estampado de cabo a rabo nas faixas do seu primeiro CD.

Foto por Laura Biasi

A arte gráfica do álbum é linda, divertida, leve e consegue traduzir o sentimento que as músicas nos transmitem. Proeza esta da artista  Mariana Chinato, responsável pela arte gráfica do CD.

A voz de Pedro soa afinada, limpa, harmoniosa e na medida certa ao se entrelaçar com os outros instrumentos. Já Beatriz nos encanta desde o seu backing vocal até o seu manejo incrível que soa e ressoa ao tocar seus diferentes instrumentos de percussão.

Para quem já acompanha o Duo como eu, já  está ciente e conhece as participações especiais de alguns músicos como Nico Nicodemos em Mulher Beleza, de Elias Zanon e Israel Dutra em Sertão e Zé Otávio em Domingo de Almoço. Todos também são impecáveis e se entrelaçam nas melodias naturalmente. Mas a novidade no CD foi a participação de Fábio Mello no sax tenor e soprano na faixa “Temporal” e de Bruno Arceno na guitarra, em “Lágrimas do Paraguay“, e o que não é surpresa, também se encaixaram perfeitamente nos arranjos musicais.

Cada participação especial conseguiu ser fiel à proposta musical do Duo, sendo que ao mesmo tempo foram capazes de transferir um pouco de si e das suas experiências musicais, refinando ainda mais cada faixa, deixando “um gostinho de quero mais” para os ouvintes, sejam eles leigos ou profissionais da música.

Um trabalho como esse é difícil de classificar, mas cada faixa é única e diferente do que estamos acostumados ouvir hoje em dia nas rádios. É música autoral para se deliciar, seja curtindo ao ouvir sozinho no quarto, no carro, ou num Domingo de almoço com a família.

Mas é incrível como mesmo o CD estando maravilhoso, é ainda mais incrível assistir o show ao vivo e ver a sintonia do Duo e dos outros músicos. A experiência visual do show é diferente da auditiva promovida pelo CD, pois ao vivo podemos nos deliciar com a atmosfera intimista presente desde a montagem do cenário até a própria performance, o que nos convida e incita a curtir o show sem nunca piscar os olhos. Uma das experiências visuais que sempre me encantam é ver  as movimentações da Beatriz mudando de instrumento para instrumento e transformando cada música ao lado de Pedro Henrique.

Entrevista exclusiva com o Duo Multueira

Eu não podia deixar de aproveitar uma oportunidade de entrevistar o Duo Multueira sendo que eu os admiro, os vi crescer, os conheço e estudei com eles. A ideia inicial era fazer uma entrevista ao vivo mas não foi possível devido a minha agenda e a do Duo que não coincidiu. Mas entrei em contato com os dois via internet e perguntei se gostariam de responder a entrevista online, e claro, eles aceitaram! Agradeço aos dois por isso! Acho que o público e os fãs de vocês vão ter uma chance de conhecer um pouco mais sobre vocês e seu trabalho, além de divulgar para aqueles que ainda não os conhecem !

Sem mais delongas acompanhe a entrevista abaixo:

Foto por Laura Biasi


Como surgiu o Duo? E da onde surgiu a ideia do nome “Duo Multueira”?

Beatriz – O Duo surgiu quando o Pedro me convidou para tocar e arranjar as músicas que ele estava compondo, fizemos alguns ensaios inicialmente como trio (com um contrabaixo acústico), mas com alguns imprevistos acabamos ficando como Duo e achamos essa sonoridade, um pouco mais crua, mais interessante. Já o nome do Duo, surgiu a partir da música/poema “Multueira” já composta anteriormente pelo Pedro Henrique, achamos interessante o nome e acabou pegando.

Pedro – Isso, mas acho que os primórdios são de antes né? Quando tivemos ideia de nos juntarmos para montar repertório para tocarmos em bares. Daí surgiu a vontade de fazer só o som autoral.


Quais suas maiores influências musicais? Como você definiria o estilo musical de vocês?

Beatriz – É difícil classificar ou definir o que somos. As influência também nunca foram claras para mim, acho que vem muito da nossa formação auditiva, de observar outros artistas e absorver o que nos toca mais, e com isso tentar transmitir um pouco desse aprendizado quando tocamos para os outros. Acho que também nós dois nos influenciamos musicalmente (rs) e aprendemos muito um com o outro.

Pedro -É, quando pedem para classificar, num geral eu tento nos colocar no universo da MPB, mas isso é muito amplo, e abrange muitas referências… Tudo que é feito de música no Brasil, para as pessoas, é popular, enfim…divagações, hehe! Mas eu tenho umas influências bem fortes, no jeito de escrever, de cantar, de ritmar as canções. Que passam desde Chico César, Lenine, Alceu Valença, Tom Zé, João Bosco e caminham pras origens dos cantos de terreiros, de folguedos, as manifestações populares. Tudo isso é linha, pra gente costurar (:

Duo MultueiraCrespa produções (Lucas Barbosa e Ana Castello)


Qual foi ou quais foram os maiores desafios de vocês no processo de gravação do CD? Como foi o processo de escolha das músicas? Qual o sentimento de lançar o seu primeiro CD?

Beatriz – De modo geral, o processo de gravação foi um grande aprendizado, percebemos que o Duo tem muito a crescer ainda e essa experiência nos fez caminhar nessa direção. A escolha do repertório do CD foi por conta dessas 10 músicas serem as primeiras que arranjamos, apresentamos e tocamos juntos. O sentimento é de muita gratidão a todos(as) que nos ajudaram a lançar esse CD e também de muita felicidade, agora é pensar nos próximos passos.

Pedro – O estúdio, num processo de gravação assim, com tempo contado e mil expectativas, se torna muito intimidador e encantador ao mesmo tempo! Foi uma delícia sentir a adrenalina do “as véras”, hehe, é um passo a mais no sentido profissional da coisa. Gravar, planejar, se organizar, escolher as faixas, fechar os arranjos, a pré produção, o projeto de financiamento ” correndo” tudo girando, muito novo, muito seguros do som que queríamos, e muito contentes, com todas parcerias conquistadas. Todo o processo, nos movimentou muito, foi lindo. Felicidade de termos registrado esse trabalho.

Quais os principais obstáculos que vocês venceram para chegar até aqui? Como as dificuldades no meio artístico, no meio de produção, gravação…

Beatriz – O principal obstáculo foi arrecadar recursos para gravarmos o CD e lançarmos com um show. A plataforma de financiamento coletivo da Benfeitoria nos ajudou muito com isso. Através do site conseguimos arrecadar o suficiente para lançarmos o CD, e ficamos muito felizes com isso. Claro que não foi tão simples, a elaboração do projeto, divulgação constante, e material (foto e vídeo) para lançar a campanha requer muito trabalho e dedicação. Se formos lançar mais um álbum via financiamento coletivo repensaríamos alguns passos, mas ficamos felizes que no final deu tudo certo.

Pedro –  É, eu diria que essa foi a dificuldade do projeto em si, mas que conseguimos agitar e levantar o recurso necessário. Mas num geral, as condições e oportunidades pro artista, no Brasil, e aqui em Floripa, não são tão simples. É sempre uma função, ir tocar, os gastos, a falta de cachê, de apoio, de parcerias. Mas o amor ele pesa bastante na balança, e dá uma adocicada nas correrias.

Duo MultueiraFoto por Crespa produções (Lucas Barbosa e Ana Castello)


Qual a sua música favorita do CD?

Beatriz – É difícil escolher uma. Acho que maldito coração pelo arranjo não tão óbvio e nuances constantes.

Pedro– É, é difícil! Mas eu gosto muito de Temporal, porque me conquista muito as quebras de ritmos e essa pegada mais impulsiva e explosiva. Mas também tem a Bisa… Sutilezas… É complexo escolher, hehe.


Onde as pessoas podem adquirir o CD de vocês?

Beatriz – Com a gente mesmo: Pedro Henrique Silva e Beatriz Schmidt ou com a nossa produção através do e-mail duomultueira@gmail.com

Pedro- Isso, só pedir que a gente envia ou nos encontramos para entregar. Mas todo o CD está disponível nas plataformas de reprodução, Spotify, Deezer, e também no Soundcloud. Só buscar Duo Multueira (:


O show de lançamento correspondeu à expectativa de vocês?

Beatriz – Com certeza! Foi muito bonito ver o grande público que compareceu apoiando e compartilhando aquele momento e também de poder fazer o show com todos os músicos que participaram do CD foi muito bacana. Ficamos muito felizes, de verdade!

Pedro– Total!!! Foi lindo demais, tudo no seu lugar, as passagens, as entradas!


Quais os próximos passos e planos do Duo?

Beatriz– Os próximos passos são planejar novos show para divulgar mais nosso CD e nosso trabalho e também trabalhar nas outras músicas que ficaram de fora do álbum para que futuramente se transformem no segundo CD do Duo Multueira.

Pedro – É, conseguir fazer um circuito, uma circulação seria muito bacana. E divulgar o material nas redes, espalhar pro povo ouvir. E isso, bolando e planejando o próximo material. A próxima estética-atmosfera-pegada!

Incrível, não? Como eu já tinha falado lá em cima antes da entrevista, também acho difícil escolher uma música. Mas quem não fica curioso para saber o que músicos pensam da própria música, não é mesmo?

Em questão dos próximos passos do Duo espero de alguma forma estar contribuindo para a divulgação do mesmo aqui no Blog. Um trabalho deste tipo merece destaque e chance de brilhar Brasil afora. Quem sabe publicando esta resenha aqui mais gente tenha acesso a esse trabalho incrível! Não esqueça que para ouvir o trabalho deles é só procurar pelo Duo Multueira  no SpotifyDeezer e no Soundcloud. Já se quiserem adquirir o CD é só entrar em contato pelo e-mail duomultueira@gmail.com.

Se gostaram do post não esqueçam de curtir e compartilhar nas redes sociais! Assim vocês ajudam a divulgar o trabalho do Duo e o meu trabalho. Se quiser que eu conheça o seu trabalho musical é só entrar em contato comigo através da aba “Contato” acima dos posts em destaques!

Termino o post com um vídeo publicado no próprio canal do Duo que mostra um pouco do processo de gravação do CD. Até a próxima!

Indicação de aplicativo: Jogo “Fallout Shelter”

Em 15.08.2017   Arquivado em Destaque, Dicas, Diversos, Resenha

jogo fallout shelter

 

No mês de julho fiquei viciada nem joguinho. Eu já tinha visto meu irmão jogar no XBOX dele e nunca tinha entendido. Até que eu baixei no meu celular e me viciei rs O nome do jogo é “Fallout Shelter” e pode ser baixado gratuito no android!

Sobre o que é

A premissa do jogo é que o mundo entrou em guerra, e com o uso das armas nucleares a maioria da população mundial foi exterminada. As armas nucleares também provocaram mudança no clima e no ecossistema, causando também diversos

Os jogadores devem criar abrigos (o chamado Vault) para os Dwellers (os personagens).  Você deve manter os sobreviventes do seu abrigo felizes, bem alimentados e hidratados. Você constrói aos poucos vários “Rooms (quartos) no seu Vault. Cada room tem uma função (pode ser uma cozinha, quartos, estações de energia e etc…). Nesses locais que os seus Dwellers vão trabalhar de acordo com a habilidade de cada um.

Missões

Você pode mandar seus Dwellers para explorarem o mundo lá fora. Quando você tiver dinheiro você poderá comprar um quarto que envia você para missões especiais. É uma das partes mais divertidas do jogo na minha opinião. Lá você muda de cenário e encontra outros Vaults e Dwellers. Você deve levar armas e amigos com você para lutarem ao seu lado, ou você corre um grande risco de morrer…

Dicas

Misterious Stranger – Homem misterioso

Durante o jogo irá aparecer várias vezes um homem misterioso. Ele pode aparecer em qualquer lugar dentro do abrigo. Você deve achá-lo rápido. Se encontrá-lo dentro do tempo, você ganha moedinhas bônus. Podem ser muitas ou poucas, mas sempre vai te ajudar.

Você sabe que ele apareceu porque toca uma musiquinha. Se seu celular estiver no celular ele vai vibrar.

Aumento da população dos abrigos – procriação

Você pode aumentar o número da população do seu Vault chamando novos Dwellers através do Room “Radio”. Mas é uma tarefa um pouco demorada.  Você vai conseguir muito mais “Dwellers” através da procriação.

E como eu faço isso?

Simplesmente coloque uma mulher e um homem no mesmo quarto de dormir que eles começam a conversar e mais tarde eles somem do quarto. E quando eles voltam a mulher aparece grávida rs

Apesar de quando o filho nascer ele ainda ser criança e ainda não poder trabalhar, demora muito menos do que esperar Dwellers virem através da chamada de rádio. Até porque você pode deixar todas as mulheres do seu “Vault” grávidas ao mesmo tempo. E elas trabalham grávidas. Então só vejo vantagens rs

Opinião

Eu adorei o jogo. No início demorei para entender as funcionalidades. Pode ser que para alguns seja mais óbvio como funciona tudo, mas acredito que não para todos. Então penso que deveria ter algumas mais explicações além da inicial.

Fora isso eu gostei de tudo. Me viciei bastante. Mas como todo jogo que se joga muito e que tem certa automatismo, a gente acaba enjoando depois de um tempo. A parte que é mais diferente do jogo e que acaba sendo mais emocionante são as missões.

 

O que vocês acharam do jogo? Se ainda não testou baixe já para testar! É gratuito.

Filmes para assistir em homenagem ao dia dos pais

Em 14.08.2017   Arquivado em Cinema, Dicas, Listas

Em homenagem ao dia dos pais fiz uma listinha de filmes que falam ou mostram sobre a relação da paternidade. Que tal fazer uma maratona com o seu pai? Não precisa ser só no domingo. Faça durante a semana. Afinal todo dia é dia dos pais. Vamos ver a lista?

1. O pai da noiva

Sinopse: George Banks (Steve Martin) é um pai de família casado com Nina (Diane Keaton). Ele sofre uma crise de ciúmes quando descobre que sua filha Annie (Kimberly Williams) e o namorado vão se casar. Durante a festa de noivado e os preparativos para o grande dia, o homem vai criar mil e uma confusões para não perder de uma única vez a sua filha.

 

2.Pai por acaso

Sinopse: Devido a um erro de uma clínica de fertilidade, David descobre que é o pai biológico de 533 seres humanos. Muito jovem na altura em que fez a doação, ele nunca poderia imaginar que tal pudesse vir a acontecer. Para piorar a situação, as crianças cresceram e estão determinadas a conhecê-lo. Aterrorizado com esta estranha notícia, David tem agora de decidir se aceita ou não revelar a sua identidade a 142 dos seus filhos, ansiosos por formar laços com o progenitor.

 

3. Procurando Nemo

Sinopse: Marlin, um Peixe-Palhaço, pai super protetor, depois de perder sua ninhada e sua esposa, decide criar seu único filho, Nemo, com todo o cuidado do mundo. No primeiro dia de aula do peixinho, no entanto, acaba exagerando um pouco na sua proteção, e faz seu filho passar vergonha.

4. Dois filhos de Francisco

Sinopse: Incentivados pelo pai Francisco, lavrador do interior de Goiás cujo sonho aparentemente impossível é transformar dois de seus nove filhos numa famosa dupla sertaneja, Mirosmar aprendeu acordeão e Emival, violão. Para ajudar nas despesas, os meninos tocam na rodoviária, onde conhecem um empresário que consegue fazer deles um sucesso no interior do Brasil até um acidente interromper a carreira da dupla.

5. À procura da felicidade

Sinopse: Um história inspirada em fatos reais sobre Chris Garner, um vendedor de São Francisco que vive no limite da linha da pobreza. Quando sua mulher Linda o abandona, Chris deve criar sozinho o filho deles de 5 anos, Christopher. A determinação de Chris finalmente surte efeito quando ele arruma um estágio sem remuneração em um programa ultra-competitivo de analista financeiro, onde somente um em cada vinte candidatos consegue ser efetivado. Mas sem salário, Chris e seu filho são despejados do apartamento em que vivem e são forçados a dormir nas ruas, em abrigos comunitários e até mesmo em banheiros das estações de metrô. Com determinação e o amor e confiança de seu filho, Chris Gardner dá a volta por cima para se tornar uma lenda em Wall Street.

TOP 5 filmes e séries de zumbi que você deve assistir

Em 23.05.2017   Arquivado em Cinema, Destaque, Dicas, Listas

 Boa noite! Estou voltando com meus posts regulares. Vocês devem ter visto que eu não posto faz um tempinho. Não estava conseguindo me organizar para postar por conta da facul e outros compromissos. Então resolvi reorganizar as postagens do blog. Antes os posts saíam terças e quintas. Agora, por enquanto, vou postar todas as terças feiras. Isso não quer dizer que não possa sair um post extra alguma vez durante a semana. Mas de dia fixo será às terças feiras.

Estou pensando em um projeto novo para o blog então fiquem atentos! 🙂

Hoje trago uma lista de filmes de zumbi para vocês conferirem. Quem sabe não fazem uma maratona?  Todos os filmes e séries abaixo eu já assisti, por isso coloquei apenas eles. Existem outros que eu tenho interesse mas ainda não tive oportunidade. Quem sabe eles aparecem em outros posts??? A lista abaixo não está em ordem de preferência.  Vamos lá?

Guerra Mundial Z

Guerra Mundial Z - Zumbi

Uma terrível e misteriosa doença se espalha pelo mundo, transformando as pessoas em uma espécie de zumbi. A velocidade do contágio é impressionante e logo o Governo americano recruta um ex-investigador da ONU (Organização das Nações Unidas) para investigar o que pode estar acontecendo e assim salvar a humanidade, tendo em vista que as previsões são as mais catastróficas possíveis. Gerry Lane (Brad Pitt) tinha optado por dedicar mais tempo a sua esposa Karen (Mireille Enos) e as filhas, mas seu amor a pátria e o desejo de salvar sua família acabam contribuindo para que ele tope a missão. Agora, ele precisa percorrer o caminho inverso da contaminação para tentar entender as causas ou, ao menos, identificar uma maneira de conter o contágio até que se descubra uma cura antes do  apocalipse. Começa uma verdadeira corrida contra o tempo, que mostra-se cada vez mais curto, na medida que a população de humanos não para de diminuir.

Estrelado por Brad Pitt, este filme tem um dos zumbis mais rápidos do cinema rs Guerra Mundial Z é baseado no livro homônimo de Max Brooks. Temos um Brad Pitt como figura paterna que tenta proteger sua família e a nação ao aceitar o pedido da ONU para investigar o que está acontecendo. A ONU promete proteger a família dele se ele prometer ajudá-los.

O filme é cheio de ação atrás de ação. Basicamente temos um ataque desenfreado de zumbis a toda hora. Eles focam mais na relação homem e zumbi neste filme. Talvez tenha sido por isso que eu não tenha gostado tanto desse filme como dos outros dessa lista.

Apesar do filme Resident Evil ter muita ação, é uma pegada diferente de Guerra Mundial Z. Tem uma construção melhor da história. Tanto que o filme teve diversas continuações rs

O final do filme (calma, não vou revelar aqui) foi alterado. Tanto que o lançamento do filme foi adiado. Eu não sei como era o outro final mas eu achei esse interessante.Vi que tem gente que não gostou, mas achei uma boa saída. O final tem relação com uma possível cura. É interessante porque temos alguns sinais sobre essa possível cura durante o longa.

Não é meu filme favorito de Zumbi, mas de qualquer forma eu acho interessante para os amantes do gênero assistirem. A produção é boa, mas existem outras melhores no mercado.

 

Zumbilândia

Zumbilândia - Zumbi

A população mundial foi dizimada devido a um vírus, variante do mal da vaca louca, que faz com que as pessoas se transformem em zumbis. Poucos são os humanos não infectados, entre eles Columbus (Jesse Eisenberg). Ele é um estudante da Universidade do Texas, que deseja voltar para sua cidade natal na esperança de encontrar seus pais ainda vivos. Cheio de fobias, o maior medo de Columbus não são os zumbis, mas os palhaços. No caminho ele encontra Tallahassee (Woody Harrelson), que está indo para a Flórida com o objetivo de aniquilar o maior número possível de zumbis. Columbus pega uma carona com ele. Ao parar em uma mercearia, a dupla enfrenta três zumbis e encontra duas garotas, Wichita (Emma Stone) e sua irmã caçula Little Rock (Abigail Breslin). Só que Little Rock aparenta ter sido mordida por um zumbi, o que divide o grupo sobre o que fazer.

Este filme eu já assisti algumas vezes. É um filme de comédia. Na verdade é bem interessante e trás piadas sobre filmes de zumbis. A narração do filme é feita pelo personagem Columbus, interpretado pelo ator Jesse Eisenberg. 

Já no início do filme nós temos algumas amostras de regras de sobrevivência para um apocalipse zumbi pensadas por Columbus. É uma espécie de sátira de outros filmes do gênero, onde as pessoas morrem de maneiras bem clichês. Como ser atirado do carro por não colocar o cinto de segurança. Assim. Num apocalipse zumbi você morre por não colocar o cinto de segurança? Por favor né? haha Essas regras são bem engraçadas no filme.

No meio da sua trajetória, Columbus encontra o personagem, Tallahassee, interpretado por Woody Harrelson.

Temos também no filme a personagem Wichita, interpretada por Emma Stone, que é irmã da Little Rock, interpretada por Abigail Breslin (lembram do filme Pequena Miss Sunshine? Era ela aquela menininha). Elas apenas confiam uma na outra. Isso complica a relação delas com a dupla Columbus e Tallahassee.

Mas os dois personagens Columbus e Tallahassee encontram ambas as irmãs no meio da estrada pedindo ajuda. Aparentemente uma delas foi mordida por um Zumbi. Eles têm então que decidir o que fazer. Há problemas para se confiar uns nos outros. Mas isso é comum em filmes de Zumbi. O longa também mostra o desenrolar desse encontro, onde eles passam de desconhecidos para amigos e parceiros.

É um filme mais leve para quem não gosta de zumbis, até porque ele é praticamente sobre fazer paródias sobre o tema de filmes de terror, com mais ênfase nos de zumbi. Mas não é um filme bobo do tipo besteirol americano. Acho que é um dos melhores nessa categoria. Na verdade não conheço outro deste gênero.

 

Resident Evil

Resident Evil - Zumbi

Alguma coisa terrível está oculta na “Colméia”, um enorme laboratório subterrâneo utilizado para pesquisa genética que é controlado pela Umbrella, uma dos maiores conglomerados do mundo. Lá há uma epidemia do T-Vírus, uma arma biológica de grande poder que acaba matando todos os cientistas que lá trabalhavam. Na verdade se eles tivessem sido mortos realmente teria sido ótimo, mas todos são transformados em zumbis, que sentem uma fome incontrolável e transformam todas as suas vítimas em outros zumbis. Quando isto acontece Alice (Milla Jovovich), que não sabe bem quem ela é, e Rain Ocampo (Michelle Rodriguez) se integram a um comando que entra na “Colméia” para entender e tentar controlar a situação. Porém isto tem de ser feito muito rápido, pois em três horas “Rainha Vermelha”, o supercomputador que controla o local, o selará para sempre e quem estiver lá dentro estará fatalmente condenado a se tornar um zumbi.

 

Acho que é o único filme dessa lista que fala realmente do porquê as pessoas ficaram como ficaram. Uma explicação. Eu quero rever os filmes de novo pois tem lançamento em breve do último filme da série. Quero relembrar detalhes.Se não me engano foi o primeiro filme de zumbis que assisti. O filme é baseado num jogo homônimo. Eu não sei como é o jogo de Resident Evil, mas eu adorei o filme.

 A história do primeiro filme se passa dentro de um laboratório subterrâneo chamado de “Colméia“. Lá dentro foi liberado um vírus. Dentro da Colméia há um supercomputador inteligente que matou todos que estavam ali dentro quando o vírus foi liberado.
Mais tarde um grupo de agentes entra na Colméia para controle do ocorrido e percebem que as pessoas não estão completamente mortas. Elas viraram zumbis. Aqui neste filme os animais também viram zumbis. Diferente de alguns outros filmes dessa lista que montei para vocês.

Temos a personagem Alice, interpretada por Milla Jovovich, personagem principal, que na primeira cena que aparece é mostrada acordando e sem memória de quem ela é. Outra personagem que faz parte do grupo principal é Rain Ocampo, interpretada por Michelle Rodriguez.  Ambas fazem parte do grupo que entra na Colméia para controlar o acontecido. O porém é que eles devem solucionar tudo em apenas 3 horas pois ao fim desse tempo, o supercomputador que matou todos irá selar a Colméia para sempre, deixando todos presos juntos com os Zumbis.

Invasão Zumbi

Invasão Zumbi

Em um trem de alta velocidade com destino à cidade de Busan, na Coréia do Sul, um vírus misterioso que transforma as pessoas em zumbis acaba se espalhando de maneira devastadora. A cidade de destino da locomotiva conseguiu com sucesso se defender da epidemia, mas até chegar lá eles deverão lutar pelas suas sobrevivências.

 

 

 

 

 

Que filme louco! O filme se passa praticamente inteiro dentro de um trem! Você tem noção disso? E eu não achei nem um pouco cansativo. Não deixa nada a desejar para os filmes hollywoodianos.

A história inicia centrando no pai e filha que estão viajando a caminho de Busan. No meio da viagem um pessoa contaminada entre no trem e vira um zumbi e acaba contaminando o resto dos passageiros. Todos tentam garantir sua sobrevivência. Há uma grande discussão em torno de ajudar o próximo ou salvar a si mesmo. Criamos empatia por uns personagens e antipatia por outros.

Mas tente não se afeiçoar com os personagens. É uma filme estilo da série Game of Thrones. O autor não poupa “ninguém” haha

Assim como em Guerra Mundial Z os zumbis deste filme são SUPER rápidos. Eles se transformam rápido e correm rápido. Parece até aqueles filmes de exorcismo para falar a verdade. Sabe aquelas cenas que as pessoas contorcem o corpo e a cabeça? Pois é… Algo deste tipo.

 

Santa Clarita Diet

santa clarita diet

 

Sheila (Drew Barrymore) e Joel (Timothy Olyphant) são dois corretores de imóveis que compartilham muito mais do que a mesma profissão. Casados e com uma filha adolescente, eles estão descontentes com a vida que levam em Santa Clarita, no subúrbio de Los Angeles. O destino deles começa a mudar quando Sheila passa por uma mudança radical.

 

 

 

 

Eu já fiz uma resenha sobre a 1ª temporada. Você pode ver a resenha completa da primeira temporada da série neste link.

Como eu falei na resenha mais completa no link acima, é uma série de humor negro. É bem diferente da pegadas do filmes e série que coloquei na lista.

Ela tem bastante sarcasmo e zomba da questão do zumbis de certa forma. Tanto que eles nem usam a palavra “Zumbi” .  Basicamente a mãe desta família começa a virar uma morta viva. Ela passa a se interessar  por comer carne crua e logo depois carne humana. Outras coisas começam a passam pelo corpo dela. Mas tudo é diferente pois ela tem consciência do que está acontecendo.

Não é igual a Zumbis que são mortos. Ela vive normalmente a vida dela. Com algumas mudanças, é claro.

O interessante é ver como a família dela se porta diante desta situação. É uma série bem diferente, mas com certeza eu indicaria para quem é fã desse gênero.

 

The Walking Dead

The Walking Dead - Zumbi

Um Apocalipse provoca uma infestação de zumbis na cidade de Cynthiana, em Kentucky, nos Estados Unidos, e o oficial de polícia Rick Grimes (Andrew Lincoln) descobre que os mortos-vivos estão se propagando progressivamente. Ele decide unir-se aos homens e mulheres sobreviventes para que tenham mais força para combater o fenômeno que os atinge. O grupo percorre diferentes lugares em busca de soluções para o problema.

 

 

 

 

Não podia estar fora dessa lista. The Walking Dead é minha segunda série favorita (Game of Thrones ficou na liderança aqui).

E assim. Por que céus essa série é tão boa? Porque não se trata apenas da relação humanos contra zumbis! Mas trata-se principalmente da relação humanos com humanos. O que acontece com a humanidade das pessoas quando ocorre o fim da sociedade como conhecemos hoje? Como ficam as relações? Como as pessoas se tratam? A gente aprende com The Walking Dead que devemos temer mais os vivos do que os mortos.

Sinceramente, é uma série que deve e pode ser vista até por quem não é fã de zumbis (ainda que de qualquer jeito você vá encarar tripas e cenas nojentas).

E é claro. Você cria afeição demais por certos personagens. E isso é muito difícil.Não gostamos de dar tchau para os personagens que amamos, não é mesmo?

The Walking Dead já está indo para a sua 8ª temporada! Muita coisa aconteceu desde o lançamento lá da primeira. Não quer embarcar nessa série também?

 

E então ? O que acharam da lista? Já assistiram algum ou pretendem assistir?

Playlist: Para emocionar (ou até te fazer chorar)

Em 09.05.2017   Arquivado em Dicas, Música

Boa noite minha gente. O post de hoje vai ser mais musical. Inspirada pela noite um pouco mais fria, pelo último mês chuvoso aqui em Floripa e dos últimos (e sofridos) meses da faculdade, fiz uma playlist com algumas músicas para te emocionar (e quem sabe até te fazer chorar ). Sei o que você está pensando, mas não é deprimente  assim hahaha São músicas boas… E não quer dizer que eu chore sempre com elas rs Mas se eu não tiver numa vibe boa posso chorar sim haha

Mas são músicas poderosas e fortes. É só clicar no player para conferir as 12 músicas que selecionei para vocês:

 

E então, o que acharam? Eu prometo que a próxima playlist vai ser mais animada hehe O que acham de uma próxima playlist de músicas para academia?

Página 1 de 512345
Clique para subir